quarta-feira, 7 de março de 2012

Web aula: Principais técnicas silviculturais



Anelamento

É a técnica mais usada na eliminação de indivíduos indesejáveis. Ela tem um efeito lento e gradual, geralmente é efetiva, fácil de efetuar, de baixo custo e baixo nível de danos sobre o povoamento restante. Algumas das ferramentas usadas são de fácil acesso (faca, catana e machado), porém, outras são caras (motosserra média ou pequena).
No anelamento, a abertura do dossel é gradual, e quando as árvores tratadas morrem, a copa e os ramos desintegram-se e vão caindo gradualmente o que evita impactos repentinos e violentos sobre aquelas que crescem melhor sob sombra. O anelamento consiste em bloquear o fluxo de seiva elaborada através da retirada da casca e por vezes parte da madeira.
A altura e a profundidade do anel deve ser suficientemente grande para causar a desvitalização da árvore, sendo recomendável um anel de 30 cm de altura e uma profundidade entre 2.5 e 5 cm (dependendo da facilidade de operação e resistência da espécie) por forma a se eliminar totalmente o câmbio (tecido meristemático responsável pela formação do floema).

Perfurações

Esta técnica consiste em fazer furos no tronco que penetram até ao cerne. Os furos podem ser feitos usando vários tipos de ferramentas como por exemplo: motosserras (introduzindo o dispositivo de corte) e brocas (ferramentas específicas, desenhadas para fazer furos no tronco).
Na perfuração, a desvitalização efetiva das árvores indesejáveis, normalmente é conseguida combinando com arboricidas. A perfuração é uma técnica de muita utilidade na silvicultura por causa das vantagens com respeito à facilidade de execução e alto rendimento.
Esta técnica facilita a desvitalização das árvores já que requer um ou poucos pontos no tronco da árvore, se faz de maneira rápida e sem grandes dificuldades, pode-se usar em árvores com diâmetros grandes, árvores com troncos deformados e/ou acanalados.
Entre as desvantagens desta técnica destacam-se o alto investimento para a compra de brocas, motosserras e injetores, que por sua vez implicam investir em insumos como combustível e sobressalentes. Outra desvantagem importante, é que em algumas vezes a desvitalização efetiva das árvores é atingida através de aplicação de produtos químicos nos orifícios perfurados, que sob ponto de vista silvicultural não é recomendado porque podem representar um perigo para as outras plantas e para o ambiente em geral.

Envenenamento

O envenenamento é uma técnica alternativa útil para aumentar a eficiência do anelamento e a perfuração. As árvores são desvitalizadas principalmente com arboricidas sistémicos (fitohormonas) que são em principio inofensivos para as pessoas e os animais. Tais arboricidas são aplicados ao redor do tronco anelado ou nos orifícios perfurados, em diversas concentrações, misturados principalmente com água. Algumas vezes, também são aplicados com pincel ou por aspersão sobre a casca.
Não existe um período recomendado para o envenenamento das árvores. Algumas observações demostram que muitas árvores atingem o ponto mais sensível no início do período vegetativo (2-3 semanas após a brotação da folhagem). Outras, porém, indicam o período a seguir à queda da folhagem como sendo o mais favorável.
O uso de produtos químicos para desvitalização das árvores pode representar um risco de intoxicação para Homem e os animais, risco de contaminação ao ambiente. Para que o uso destes produtos seja efetivo sem causar efeitos negativos para o Homem, animais, outras plantas e o ambiente em geral, são necessários que se observem cuidadosamente as instruções de maneio do produto, normas de segurança, equipamento de proteção, medidas de primeiros socorros entre outras informações relevantes ao maneio e segurança na sua utilização.

Corte direto (abate)

É uma técnica utilizada para a colheita aproveitamento florestal, sobretudo em tratamentos de baixo dossel e em aclaramentos, já que se pretende eliminar árvores indesejáveis de diâmetros pequenos e médios que ao serem retiradas não causam grandes danos sobre o povoamento restante. Se esta técnica for aplicada a árvores grandes, deve-se tomar em consideração as técnicas de corte dirigido, sobretudo quando se pretende minimizar os danos sobre a vegetação restante desejável para futuras colheitas.
O corte direto é uma técnica eficaz e segura. Porém, é uma técnica que provoca elevado de nível danos ecológicos sobre a floresta e custos económicos elevados. Ecológicos porque, o efeito imediato e abruto do corte pode prejudicar as árvores do povoamento restante ou afetar aquelas que crescem melhor debaixo da sombra.
Por outro lado, requer equipamento e cuidados especiais, sobretudo quando se pretende minimizar o impacto ambiental.

Manual de Silvicultura Tropical

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...